17 de jun de 2015

Meios de Comunicação auxiliam no Combate ao Tabagismo

No final do mês de maio, o SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) lançou a campanha “Advertências impossíveis de ignorar”, que tem como objetivo diminuir o uso do cigarro no Brasil. A agência de Publicidade responsável pela campanha é a Publicis Brasil. A principal aposta da ideia é um hotsite em que a pessoa cria sua própria advertência para pôr no maço de cigarro de quem ela quer que pare de fumar. O início da veiculação da iniciativa coincide com o Dia Mundial Sem Tabaco, 31 de maio. 

Fonte: http://www.sbt.com.br/semtabaco/ 

Dados do Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), do ano de 2013, mostram que o número de fumantes no Brasil caiu para 11,3%. Para se ter uma ideia, em 1989, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostrou que o número de fumantes em território nacional era de 34,8% da população. 

Um estudo divulgado em 2013, no Relatório Semanal sobre Morbidade e Mortalidade, chamado Antismoking Messages and Intention to Quit - 17 Countries, 2008–2011 (em tradução livre: Mensagens antitabagismo e intenção de parar – 17 países, 2008 -2011) mostra a eficácia de quatro meios de comunicação (televisão, rádio, letreiros, jornais ou revistas) em campanhas contra essa droga.
 Como o título já sugere, a pesquisa foi feita a partir de dados dos 17 países que fazem parte do GATS (Global Adult Tobacco Survey). O GATS é ligado a OMS (Organização Mundial da Saúde) e faz levantamentos levantamento de dados acerca do uso do tabaco entre adultos. O Brasil é o único membro da América do Sul que faz da pesquisa.
No levantamento foi constatado que a porcentagem de fumantes no Brasil é de 16,9 %. Do total de usuários do cigarro 18,7 % afirmam que pretendem largar o hábito. Não obstante, a pesquisa apurou o número de fumantes que noticiaram informações antifumo nos últimos 30 dias: 45,3 % na televisão, 16,8% no rádio, 22,6% em letreiros,  12,8% em jornais ou revistas e 55,1 % em qualquer um dos quatro meios mencionados anteriormente. Ademais, 90,7%  dos fumantes afirmam terem visto alguma advertência em rótulos de cigarros, e 54,9%  dizem terem visto marketing pró-tabaco. 

É inegável que os meio de comunicação de massa, principalmente os que têm um forte apelo visual e emotivo, exercem um papel fundamental nas campanhas antitabagismo. Conquanto, deve-se ressaltar outras formas de combate ao tabagismo, tais como: a lei antifumo regulamentada em 2014 e o uso obrigatório de advertências em maços de cigarro em 2002.

Referência Bibliográfica

http://www.cdc.gov/mmwr/preview/mmwrhtml/mm6221a2.htm?s_cid=mm6221a2_w


0 interações:

Postar um comentário