9 de out de 2014

Ponderações sobre o segundo turno presidencial

de Aghata Gontijo e Gabriel Shinohara

O horário político para presidentes já recomeçou e o segundo turno é uma disputa acirrada entre um pouco mais do mesmo. Aécio e Dilma colorem o mapa do Brasil nas cores azul e vermelha assim como os militantes virtuais colorem as paginas das redes sociais com plaquinha de apoio abaixo de suas fotos de perfil, uma manifestação direta, ligada a sua identidade. Compara-se aos adesivos que enfeitam o peito dos eleitores nas zonas de votação, mas dessa vez com o caráter virtual.

E por falar em manifestações o resultado do primeiro turno para a presidência deixa pairar sobre as cabecinhas brasileiras o ‘e aí?’. O papel dos manifestantes que abarrotaram as avenidas em julho de 2013 agora é justificar o que aconteceu nas urnas ou tentar compreender o fenômeno. Dilma liderou a fila indiana dos candidatos até aqui, seguida de pertinho por Aécio e de não-tão-pertinho-assim por Marina. E entre escândalos de corrupção, acusações com provas, acusações sem provas, aviões, Petrobrás e tudo mais o que se espera nessa época, o famigerado: e aí?

4 de out de 2014

Candidatos "nanicos" se destacam no último debate

por Gabriel Shinohara

O debate promovido pela Rede Globo na noite de quinta-feira (02/10) se destacou dos anteriores pela atuação dos candidatos, eles arriscaram e atacaram muito mais, principalmente os ditos “nanicos” Luciana Genro do PSOL e Eduardo Jorge do PV. Estes foram os responsáveis por trazer as discussões que os candidatos líderes das pesquisas não estavam interessados, como o casamento LGBT, a legalização das drogas e do aborto.
No momento que os principais candidatos se viam obrigados a responder perguntas sobre esses assuntos tentavam desviar ou preencher o espaço com dados e feitos, principalmente a presidenta Dilma Rousseff e a candidata do PSB, Marina Silva.