23 de set de 2012

Impressões sobre a primeira reunião do ciclo de debates "Observatórios de Mídia"

por Matheus Sette


O SOS Imprensa retomou suas atividades abertas na última sexta-feira (21). Após longo período de reestruturação, o retorno das discussões abertas trouxe novidade recente: a divisão dos assuntos debatidos em eixos mensais. O tema trazido pela dupla encarregada no mês atual é uma reflexão, urgente, sobre a atuação do projeto como observatório de mídia.

O texto em pauta, Crítica da mídia: da resistência civil ao desenvolvimento humano, de Luiz Gonzaga Motta, baseou o debate sobre o surgimento dos observatórios de mídia no Brasil e sua ascensão como expressão de cidadania e exercício democrático. O artigo também trata da importância da crítica da mídia como resistência aos abusos do centralismo da indústria cultural e informativa.

19 de set de 2012


SOS Imprensa após reestruturação – dinâmica e expectativas 

por Laís Lara e Johnatan Reis 


Durante três meses o SOS se preparou para a volta às aulas a fim de reiniciar as atividades com um planejamento definido. E retomamos nossas reuniões com uma novidade: os ciclos. O primeiro terá início na próxima sexta, 21 de setembro. Pretendemos fomentar discussões temáticas estendidas por mais de um encontro. Com essa dinâmica, desenvolveremos não apenas um canal de trocas de ideias, mas uma oportunidade de construção de conhecimento em conjunto. 
foto: divulgação

Abertos ao público, cada ciclo se compõe por três encontros, todos nas sextas-feiras, às 12h, na sala 2 da FAC. Com a presença de convidados e parcerias de outros projetos, cada ciclo somente alcançará o objetivo planejado caso os presentes na sala se sintam à vontade para participar dos debates, das dinâmicas e das atividades propostas. 

O primeiro tema de discussão é uma metáfora ao próprio trabalho desenvolvido pelo SOS: Observatórios de Mídia. Na próxima sexta, pretende-se conhecer o que e quais são as atividades dos grupos que desenvolvem esse trabalho, além de iniciar um debate sobre a atuação e as consequências dessa iniciativa na sociedade, sempre sob a ótica da ética na comunicação. 

Vale lembrar: a presença ou falta em um dos dias não obriga (e tampouco proíbe) a participação em outra sexta. Afinal, quem visita um dos encontros semanais do SOS o faz não por obrigação, mas por apreço a momentos que unem o conhecimento acadêmico ao cotidiano, em outras palavras, a momentos de extensão universitária.