27 de mar de 2012

O papel preventivo da imprensa

Por Luiz Martins da Silva

Atribui-se a editores ingleses a máxima “notícia é denúncia, o resto é secos e molhados”, lema por vezes convertido em “jornalismo é oposição, o resto é secos e molhados”. Numa democracia, porém, não faz sentido esperar que a imprensa faça oposição política e sim que seja o Quarto Poder na estruturação de uma sociedade democrática e plural.

Certa vez, ouvi de um dos editores do Washington Post: “Já dá muito trabalho fazer um jornalismo de qualidade. Imagine cuidar de políticas sociais”. Caberia ao jornalismo tão-somente o clássico papel de se ater aos fatos e nada mais além deles. E quando der opinião, deixar bastante claro para os leitores – e em local apropriado.

Seria demais, então, pedir do jornalismo um papel preventivo? Possivelmente, não. Afinal, jornalistas – sobretudo, os pauteiros --, são muito afeitos ao calendário e às agendas: Ano Novo, Carnaval, Semana Santa, Dias das Mães, Dias dos Namorados, Semana da Pátria, Dia da Criança, Finados, Natal e... roda tudo de novo, mas também problemas que são recorrentes, como: enchentes, secas, incêndios, acidentes, tragédias, epidemias, endemias, pandemias etc. Em Brasília, por exemplo, qualquer repórter de cidade poderia registrar na sua agenda, a partir de junho: ‘verificar que providências foram tomadas para que o Parque Nacional da Água Mineral não pegue fogo’, como, aliás, acontece todos os anos. O mesmo vale para o Jardim Botânico, toda seca lambido pelas chamas, de ponta a ponta.

23 de mar de 2012

Recomeçando atividades

Por Camila Curado                                                                                                                                                                                                    
Caro internauta, é com satisfação que o SOS Interativo inicia as atividades do primeiro semestre de 2012. Semana passada, apresentamos o projeto, explicamos a função de cada eixo e demos boas vindas aos novos membros. Hoje, na segunda reunião do SOS Imprensa, tivemos a surpreendente visita de mais sete estudantes da Faculdade de Comunicação da UnB (FAC), interessados no projeto. O entusiasmo dos novos visitantes e, talvez, futuros participantes contribuiu para enriquecer os debates.

A partir desse semestre, o SOS Imprensa vai definir um tema por mês, que norteará as reuniões. Nos próximos encontros, iremos discutir sobre "Ética e imagem". Hoje, tivemos alguns vídeos de comerciais para assistir e debater sobre conteúdo. O primeiro analisado foi o polêmico comercial da União Europeia, lançado nesse mês: