24 de dez de 2011



Nota da SBPJor sobre o diploma de jornalismo

A SBPJor, Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, entende a formação universitária em nível de graduação, incluindo, nesta, o ensino, a pesquisa e a extensão, como elemento basilar do campo do jornalismo, cuja legitimação se estabelece por meio do reconhecimento legal do diploma como necessário para o exercício da profissão em suas mais diferentes instâncias.
Brasília, DF, 23 de dezembro de 2011

Dione Oliveira Moura
Em nome da diretoria da SPBJor

A responsabilidade de se posicionar

Por Paulo Júnior

O surgimento da internet como nova mídia comunicacional trouxe inúmeras expectativas quanto ao modelo que se estabeleceria em relação à produção e recepção de notícias a partir daquele momento.
Os portais dos grandes jornais permitiram, logo de início, que leitores comentassem as matérias online de forma instantânea, o que dava oportunidade para qualquer anônimo se expressar sobre as mesmas. Muito mais democrática que as tradicionais sessões de Cartas dos meios impressos, a página de comentários permitiu uma construção natural das discussões por meio da totalidade de opiniões, sem hierarquização de posicionamentos por parte do veículo que os hospeda¹.

16 de dez de 2011

Mundial de Clubes é exibido apenas em SP

Por Ramilla Rodrigues

Foto: AFP
O Campeonato Brasileiro acabou, mas quarta-feira teve futebol. Não às 22h como de praxe, mas às 8h da manhã. A disputa em questão faz parte de um campeonato ocorrido no Japão, que conta com os campeões regionais do mundo todo. Al Saad (Ásia); Auckland City (Oceania); Barcelona (Europa); Esperance (África); Kashiwa Reysol (representante do Japão);  Monterrey (América do Norte e Central) e Santos (América do Sul) competem pelo título de campeão mundial entre clubes.

15 de dez de 2011

Culpa da imprensa?

Por Brunna Ribeiro

No início do mês de dezembro mais um ministro do governo Dilma caiu. Carlos Lupi, ex-chefe da pasta de Trabalho, acusou a imprensa de ser uma das responsáveis por sua queda. Alegou "perseguição política e pessoal" como o motivo para deixar o cargo. Mas não é esse um dos papéis fundamentais que a mídia tem, o de agir em prol do cidadão? Defender os interesses do povo? Informar e noticiar os fatos públicos que atinjam de forma direta os eleitores?

Por mais que se questione a ética de certos veículos midiáticos, não se pode negar que, muitas vezes, são eles que apontam irregularidades no governo. O ex-ministro do Trabalho não foi o único a ser ‘vigiado’ pela imprensa. Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura, também deixou o cargo após denúncias dos jornais Folha de São Paulo e Correio Braziliense sobre irregularidades em seu governo. E a lista vai além, com outros cinco ministros que pediram demissão no primeiro ano do governo Dilma.

6 de dez de 2011

Adeus ao papel?

Por Ramilla Rodrigues
No Seminário Internacional dos Jornais, Earl Wilkinson, presidente da Inma (International Newsmedia Marketing Association), declarou que os jornais impressos terão hegemonia nos Estados Unidos de, no máximo, mais dez anos. Em países com nível considerável de analfabetismo e/ou com expansão da classe média, como Brasil e Índia, espera-se que a hegemonia do jornal impresso dure, pelo menos, 50 anos.

2 de dez de 2011

Belo Monte de interesses


Por Camila Curado

Imagine-se que, ao chegar em casa, você encontra uma nota de cem reais dentro de um envelope. Uma empresa da qual é cliente lhe presenteia com o dinheiro e um bilhete dizendo: “Parabéns consumidor, você merece essa premiação!“. É tão inacreditável quanto a união de mais de uma dúzia de atores globais na produção de um vídeo para a defesa de uma causa ambiental. Lembra o velho ditado que diz que “quando a esmola é demais o santo desconfia”. Por isso, inúmeros internautas ficaram desconfiados depois que É a gota d’água +10 foi divulgado. Um vídeo como este precisa de roteiro, preparação, ensaio. Dá muito trabalho e exige uma equipe preparada. Houve um grande investimento na construção dessa campanha para lucro nenhum?